quarta-feira, 20 de março de 2013

Justificação de faltas

Andei cheia de trabalho. Andei a pinar três dias seguidos como uma cadela com o cio. Comi uma coisa estragada, que até me estava a saber bem na altura, mas que horas depois ofereceu-me a maior diarreia em jacto de que há memória. Todos este motivos são, de facto, acontecimentos recorrentes da minha vida. Mas curiosamente, não aconteceu nada disto. Há uns dias, à saída do trabalho, vi o carro do homem da minha vida. Não sei quem é, mas homem que tem uma tanga de renda branca pendurada no espelho retrovisor do carro, como um religioso pendura um terço, tem de ser o homem da minha vida. Ou não fosse, claramente, um verdadeiro devoto dessa grande religião que é o sexo à bruta dentro de um carro. Cheguei a casa transtornada e, coincidência ou não, quatro horas depois estava a trocar mensagens com o homem da minha vida que não gosta de mim. Contava-lhe isto em tom de brincadeira e tive como resposta 'tu não queres um homem desses, esses não prestam'. Fiquei sem perceber se a tradução disto seria 'tu não queres um homem desses, tu queres-me é a mim' ou 'tu não queres um homem desses e eu sou assim', mas como também já ouvi dizer que os homens dizem exactamente o que querem dizer, fiquei a perceber menos ainda. O tormento foi tanto que, dois dias depois, acordei com uma dor nas costas que me limitava o movimento do pescoço e dos braços. Dona de uma capacidade invulgar de ver as coisas sempre pelo lado positivo, levantei-me da cama e disse para mim mesma 'mais vale acordar com uma dor grande nas costas do que com uma pila pequena na cama'. Horas depois uma colega de trabalho sugeria que a cura para a minha situação seria uma bela foda. Efeitos secundários das minhas teorias matinais ou da dose industrial de anti-inflamatórios que circulava no meu sangue, mas fiquei com medo de pinar até ao fim do mês. Entenda-se por fim do mês, o dia em que o estado me paga e que, curiosamente, este mês calha no dia da árvore, esse ser vivo de grande porte e sempre erguido em direcção ao céu. Entretanto, estive estes dias todos em retiro espiritual, na procura das conclusões a retirar de tudo isto. Não consegui nenhumas. E preciso de respostas.

27 comentários:

  1. O homem que não gosta de ti troca mensagens contigo? A sério? Andas a dormir, pá.

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito nesse tipo de romantismo. Até o Continente me manda mensagens.

      Eliminar
  2. 'tu não queres um homem desses, esses não prestam'= tu mereces melhor e eu sou um fofinho por te dizer isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantiga do bandido. Primeira resposta com nexo. Agradecida.

      Eliminar
  3. Oh R., olha que não sei! Há por aí muito homem que gosta de perpetuar a coisa para alimentar o ego. Snail, eu sei que isto não vale nada mas... se quer, quer. Se não quer, largueza!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior, pior é cortar com a cena... beijos

      Eliminar
    2. Romantismo? Ego? O gajo quer é saltar-te em cima, L. Aproveita.

      R.

      Eliminar
    3. Dessa parte também já desconfiava...

      Eliminar
  4. Tens um talento invulgar para escrever... tu sabes disso?

    Sempre que publicito o teu blogue a pessoas não-preguiçosas-como-eu, estas lêem-no duma ponta à outra!

    Parabéns miúda!

    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabaste de ganhar o prémio 'fã do mês'. :p
      Obrigada. :)

      Eliminar
  5. Eh eh eh eh ...
    Um carro com cuecas de renda penduradas no retrovisor ... hum I wondering: não seria o carro do Zéze Camarinha???
    Ah ah ah ah ..

    Já me fizeste dar uma boa gargalhada :)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opa juro! Ainda olhei à volta, mas não vi ninguém... uma pena.

      Eliminar
  6. Snail...mt sinceramente acho que não te deves preocupar com as dores nas costas!!! Quando pinares isso vai desaparece ou então podes sempre alegar que estás fodida das costas e que precisas de ser fodida muito softzinha...tipo "faz-me minetes até eu dizer "basta""......
    Quanto ao gajo, bom....tenta deixar de ser lambisgóia por uns tempos. Parece-me ser um daqueles tradicionais. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "faz-me minetes até eu dizer 'basta'" e deixar de ser lambisgóia? Tudo isso ao mesmo tempo? Não consigo.

      Eliminar
  7. É claro que queres um homem assim! Lol que interessa se não te merece...« the heart wants what it wants!» e a cona então nem se fala!
    Mas esse tipo com as cuecas de renda parece-me promissor...eu apostava nesse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca mais vi o carro com as cuecas. O dono já deve ter encontrado a dona.

      Eliminar
  8. Eu cá para mim cheira-me que tu andaste foi a levar com ele à frça toda... E agora tás aqui a fazer-te de esquisita! E cá para mim foi o tipo que viu o soutien, achou-o giro e pimbas, deixa cá fazer uma espera à jeitosa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh. Não faças pouco da miséria dos outros.

      Eliminar
    2. Cá miséria... A mim não me enganas tu! Turno da noite e dores nas costas e cenas... Hã-hã... Admite de uma vez!

      Eliminar
    3. Não gosto de ter fama e não ter proveito. Agora amuei.

      Eliminar
    4. Vá... Baba-te lá um bocadinho...

      http://www.youtube.com/watch?v=z5NRWM3FgqA&feature=player_embedded

      O menino tava a brincar contigo!

      Eliminar
  9. Olha, a que gozou comigo por eu ter um torcicolo depois de dias de pinanço... :p Insiste que isso passa ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Opa... estas não são dores de sexo. Dessas eu gosto.

      Eliminar
    2. O meu torcicolo também não se deveu ao sexo! Que dessas dores já sabes que tambem sou fã...

      Eliminar