sábado, 6 de abril de 2013

Poema

Antes de mais, devo dizer que já bebi três copos de vinho. Não, não abri outra garrafa pelo segundo dia consecutivo. Na verdade, estou a beber o que restou da garrafa de ontem. E não, não estou com problemas com o álcool, continuamos a dar-nos muito bem, mesmo que seja, neste momento, numa relação tipo tântrica com a duração de dias até chegar ao fim da garrafa. Posto isto, o motivo para este mau poema não é a taxa de alcoolémia, é mesmo a falta de jeito. Ou de paciência. Ou o excesso de parvoíce.

Abro esta merda e pergunto:
Blog meu, blog meu,
Haverá mais alguém nesta terra
Ligado à net num sábado à noite para além de eu?

18 comentários:

  1. Eu, mas sem a companhia do vinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um eu sem vinho???? Tadinha...

      Eliminar
    2. É verdade. O meu pastor diz que o vinho é o sangue de satanás e eu quero ir para o céu que inferno já me basta este aqui.

      Eliminar
    3. Eu como sei que vou para o inferno, faço para ter o céu aqui. Como não consigo, vou bebendo vinho. :)

      Eliminar
  2. Há um certo pássaro azul que se armou em Michael Phelps e engoliu tanta água que já não tem lugar para o vinho :)

    Boa noite Snail :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje foi dia de treinos para os dois, estou a ver. Mas o ginásio parece que dá sede, percebes?...

      Eliminar
  3. Respostas
    1. São mais 5 horas em goa.

      R.

      Eliminar
    2. Madrid. Goa. Tu gostas de meter nojo, não é?

      Eliminar
    3. Apenas constatei um facto. Já agora, são mais 9 xangai.

      R.

      Eliminar
  4. Fonix, que a garrafa rende!
    Uns com pouco, outros com tanto...

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. Oh... beber muito estando sozinha é parvo. :(

      Eliminar