quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Snail, a apimentar os relacionamentos dos outros desde os finais de 2013.

Este ano tive uma passagem de ano diferente. Entre emigrações e novos namoros, o grupo do costume dissipou-se em escolhas diferentes para a noite de ano novo, pelo que acabei por passá-la com uma amiga de guerras antigas. Pessoa que partilha comigo o gosto pela vida boémia, teve uns aninhos de ausência devido a uma relação séria. Relação essa, que começou numa de tantas saídas nocturnas e que terminou recentemente. Enquanto combinávamos o plano para o jantar da 'grande noite do ano', que se realizou na minha casa, ela pediu-me se podia trazer um amigo e uma amiga. Disse que sim, claro, quantos mais melhor. E qual não é o meu espanto quando os três chegam e eu reparo que o amigo é uma antiga paixão dessa minha amiga. Entre olhares subtis, percebo que há ali qualquer coisa a rolar, consigo perguntar entre dentes, ela cora e diz um tímido 'ainda não'. Fiquei feliz pela minha amiga. Eles entram, despem os casacos e de imediato faço a apresentação da casa. Assim que mostro o quarto, a minha amiga exclama com voz trémula e emocionada ''Ah!!! A tua cama! Saudades da tua cama!''. Naqueles tempo em que saíamos juntas, ainda eu morava num T0 em que aquela cama era a maior peça de mobília da minha casa, e as noites terminavam religiosamente com o pessoal todo ao monte sentado na cama a comer massa com atum e a rir até adormecermos um para cada lado. Eu rio-me com cumplicidade, mas segundos depois reparo no ar desconfiado do 'amigo'. Tento salvar a minha amiga. 

Posto isto, e antes de continuar com esta linda história de amizade, vou só ressalvar alguns pontos importantes que podem facilmente identificar na breve nota introdutória do monólogo que se segue. Eu sou uma pessoa boa. Eu não me esqueço dos meus amigos. Eu aceito que eles voltem à minha vida. Eu sou generosa. Eu aceito receber pessoas novas em minha casa, só para garantir o bem estar de todos. Eu sou uma heroína. Eu dou o peito às balas para salvar as pessoas de quem gosto. A vida não é justa.

- Ela já conhece a minha cama...
Amigo continua desconfiado.  
- Oh, que cara é essa? Ela está assim porque já foi muito feliz aqui...
Amigo mostra-se desconfortável.
- Epá, calma! Ela esteve na minha cama, mas eu também estava!
Amigo arregala os olhos num misto de sensação de facada no peito e excitação sexual.
- Epá, isto agora soou mal, não foi? Não interpretes isto mal! Eu estava na cama com ela com ela, mas também estavam mais pessoas...
Amiga puxa amigo pelo braço, faz cara de má e manda-me calar. 

Ah, a ingratidão...

32 comentários:

  1. Tu falas, falas... mas não sei se tinhas a coragem de entrar, nem de organizar um bacanal à maneira antiga!! :p

    Bjinhosssss*************

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Logo agora, que eu começo o ano com uma história inocente de massa com atum, tu vens-me tentar desorientar com alusões a bacanais??? Sinceramente...

      Eliminar
  2. Uma pessoa abre a boca pra dizer qualquer coisa e elas mandam-nos logo calar! Umas ingratas!!!! :D

    ResponderEliminar
  3. Só consigo pensar o quanto gostava de ser uma bala... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oooohhhh.... Já te disse que tu estragas-me com mimos?

      Eliminar
  4. E a amiga dela como reagiu a essa conversa? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulo Alves? O antigo jogador da bola?

      Epa, na outra nem reparei... :\

      Eliminar
    2. Não, essa é outro, eu com bolas tenho outros dotes...
      Talvez a amiga tenha gostado tanto quanto ele!

      Eliminar
    3. Oh... eu a pensar que era desta que tinha um fã famoso.

      E agora que falas nisso, a outra amiga já disse várias vezes que quer fazer outro jantar aqui em casa....

      Eliminar
    4. ahahahah...ela quer ir provar o atum! :)

      Eliminar
  5. (ehehehehehehe! cambada de «tradicionais» :b)

    beijinho, snailzinha linda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estás, estás.... mas se é para me chamar linda, abichanem-se todos, que não faz mal.

      Eliminar
  6. Os teus amigos não tiveram aulas de português como deve de ser e depois dá nestas coisas.

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus amigos acham que estou sempre a falar em sexo. Ridículo, não é?

      Bom ano, R. :)

      Eliminar
  7. lol
    Quanto mais falas mais te enterras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, eu falo sempre muito, mas ultimamente a parte do 'enterrar' anda a falhar.

      Eliminar
  8. hahahaha ora aqui esta uma boa forma de comecar o ano. foste tu, mas bem q podia ser eu. e o que da nao pensar no lado obscuro aka pipi do q estamos a dizer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém que reconheça em mim alguma inocência. Deus te pague, minha cara!

      Eliminar
  9. Isso é que foram umas entradas. Mas não percebi bem, os olhares cúmplices eram entre os três que te chegaram a casa?! Ah grandes doidos :P

    Bom ano já agora ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM? Primeiro Ministro? Fora daqui, seu bandalho!!!

      Eliminar
    2. Credo nossa senhora, calma lá com isso. Isso nunca me tinham chamado, fogo... Mas se quiseres contribuir alguma coisinha para diminuir o défice das minhas contas, estás à vontade!

      Eliminar
    3. LOL não és o próprio, mas tens jeitinho pra coisa, vês.

      Eliminar
    4. Sou danado para o regabofe, LOL

      Se tivesse jeito para a política estava melhor de vida, digo eu...

      Eliminar
  10. Tu ias prá cama cama com a tua amiga, uma data de gente e um atum? :P
    E o atum estava vivo?

    ResponderEliminar
  11. Snailzinha linda do meu coração, não queres ser minha amiga?

    PS- também gosto de massa com atum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se quiseres ser amigo dos meus amigos também...

      Eliminar
  12. E a pergunta pertinente: o atum chegava para as encomendas ou não?

    ResponderEliminar