segunda-feira, 24 de junho de 2013

Choque cultural

Estávamos as duas, eu e a preta, encostadas a uma parede qualquer do bairro alto, de copo não e a jogar conversa fora. Nisto, passa uma outra preta, muito feia e muito gorda, com uns calções de ganga 3 números abaixo do tamanho dela, o que permitia apreciar o gingar de 30 Kg de celulite em cada perna. Diz-me a preta em tom crítico: admiro a coragem destas mulheres da minha raça... e ao mesmo tempo tenho vergonha. Pus-lhe a mão no ombro e disse-lhe: é por causa de coisas como esta que os pretos agora andam a comer brancas. És mesmo estúpida, respondeu ela. É, sou, mas consigo dizer coisas deveras engraçadas. E assim se dá o mote para um momento de reflexão sobre algumas coisas estranhas da raça dela. Porque eu estou, neste momento, a passar pela fase pós-traumática da primeira evidência do choque cultural do casal multi-racial. Não, não tive o jantar oficial de apresentação onde fui obrigada a falar com pessoas com nomes como Arionilson, Gilson, Leonilde ou Ludmila. Nem tive de comer moamba com doses cavalares de picante até lançar torpedos pelo cu. Nem fui obrigada a dançar kizomba com um qualquer tio barrigudo a cheirar a catinga. O choque aconteceu de surpresa na sexta feira à noite. O preto tinha ido a uma festa de pretos, a branca tinha ido a concerto de música de brancos. Terminados os dois eventos, combinaram encontrar-se à porta de casa dela para depois celebrarem o amor. O que a branca nunca pensou é que assim como ela se vestiu a preceito para o evento a que ia, ele tinha feito o mesmo. Sem mais delongas, apresento-vos o choque:

- Então, gostosa? (este podia ser o choque, mas ela assistiu a novelas brasileiras com pretos tesudos desde a infância)
- Oi... (branca dá último bafo no cigarro, deita fora a beata, o que a obriga a olhar para o chão) O que é essa merda?!
- O quê?
- Nos teus pés!!!
- Os meus sapatos bicudos de pele de crocodilo?

Não, filho. Não. Na terra dos brancos isso não são sapatos, são armas de destruição maciça de famílias inteiras de baratas nos cantos da sala. E pele de crocodilo? A sério? Vens mais alguma vez com essa merda de casca de osga para o pé de mim e bem que podes voltar para as kizombadas com as Ludmilas e as Leonildes que eu não quero saber! E ficas já a saber que não gosto de ténis do basket, nem de fatos de linho branco, nem de jóias de família nos dedos todos, nem T-shirts tamanho XXL, nem de gajos que ouvem kuduro no telemóvel aos altos berros para a rua toda ouvir, nem que me chamem dama, nem vou ter 5 filhos!!! Gosto de ter as coisas bem esclarecidas.

24 comentários:

  1. Nada como meter os pontos nos iiiis desde o 2º minuto!

    ResponderEliminar
  2. A tua cena é mesmo só pila de meio metro.Ponto. Ficou esclarecido?:P

    ResponderEliminar
  3. Eu não posso vir a este blog em locais públicos (como é o caso, neste momento) porque passo por maluca.... ahahahahahahahahahaha!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em casa também não deves parecer muito sã... :p

      Eliminar
  4. mas nem a pila de 26cms de comprimento e 6cm de diâmetro, te farão mudar de ideias?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu estava a falar de mim....
      quero mais é que o preto se foda! chungas!

      Eliminar
  5. Há um gajo, lá na 'ardeia' de onde eu venho, que se usa sapatos bicudos. Brancos!!! E cinto Miguel Vieira. Branco!!!! E cabelo abaixo do pescoço... Colado com gel!!! E calça de ganga justa a apertar is tomates... Com a camisa enfiada por dentro! Para se ver o símbolo gigantesco do cinto, pois claro! E anda de SLK descapotável... E é branco! :p

    ResponderEliminar
  6. Fosga-se...isso é coisa para tirar o tesão a qualquer uma....

    ResponderEliminar
  7. Lambisgoia!!!
    Saudades de ler as tuas caralhadas :D
    Sinceridade acima de tudo nunca fez mal a ninguém!
    E olha lá mas isso pegou moda? No outro dia vi um preto no metro que estava de fato de linho branco com uns sapatos bicudos em verniz e com uns brilhantes que aquela merda até ofuscava um ceguinho...

    ResponderEliminar